Bens entregues por esposa, filho e irmão de Silval estão há quase dois anos ‘esquecidos’


0

A procuradora-geral da República, Raquel Dodge, entregou no dia 9 de maio ao Supremo Tribunal Federal (STF) um ofício por meio do qual o Ministério Público de Mato Grosso (MPE) presta informações sobre os bens oferecidos pela família Barbosa em delação premiada. 

O documento esclarece que não existe qualquer procedimento na Justiça referente à entrega de bens realizada por Roseli Barbosa, Rodrigo Barbosa e Antônio Barbosa no dia 9 de agosto de 2017. O ofício é assinado pela promotora de Justiça Ana Cristina Bardusco.
 
Conforme termo de delação premiada, Roseli se comprometeu a entregar um terreno próximo ao Lago do Manso, avaliado em R$ 1,2 milhão, e um apartamento no bairro Jardim das Américas, estimado em R$ 1,2 milhão.
 
Antônio Barbosa se comprometeu a entregar a Fazenda Lagoa Dourada, em Peixoto de Azevedo, avaliada em R$ 2,9 milhões, e um terreno também próximo ao Lago do Manso, estimado em R$ 524 mil


 
Rodrigo Barbosa se comprometeu a entregar dois lotes em Cuiabá, avaliados em R$ 280 mil, um imóvel no Edifício Manchester, estimado em R$ 310 mil, e um imóvel em Matupá, avaliado em R$ 2,4 mil.


 
A defesa dos delatores
 
A defesa da família Barbosa comunicou o Ministério Público Federal em dezembro de 2018 sobre a falta de alienação judicial dos bens. Os advogados cobram agilidade sob a afirmação que o atraso gera custos devido à responsabilidade de guarda e manutenção.
 
Silval Barbosa
 
A delação de Silval Barbosa, a mais adianta quando o assunto é a alienação de bens, se comprometeu a ceder um lote urbano em Sinop de R$ 860 mil, uma fazenda em Peixoto de Azevedo, avaliada em R$ 33 milhões, outra fazenda em Peixoto de Azevedo de R$ 10,4 milhões, uma aeronave avaliada em R$ 900 mil e um imóvel em Cuiabá de R$ 1,2 milhão.
 
Para completar o valor de R4 70 milhões, Silval firmou compromisso de depositar em uma conta judicial R$ 23,4 milhões, em cinco vezes.

Até o momento apenas o bimotor modelo Seneca III BEM 810D, avaliado em R$ 900 mil, foi transferido. Atualmente a aeronave atende as forças de segurança de Mato Grosso, com transporte de autoridades e até mesmo de presos.

Deixe um comentário