Bolsonaro e Mauro Mendes querem retomar traçado de rodovia que corta reserva indígena


0
Foto: Arquivo - Olhar Direto/ José Medeiros

Fonte: Olhar Direto

O presidente da República, Jair Bolsonaro (PSL), quer retomar o traçado original da BR-158, no trecho que atravessa Mato Grosso e corta a reserva indígena Marãiwatsédé, do povo Xavante. A possível mudança, de acordo com o senador Wellington Fagundes (PR), tem a anuência do governador Mauro Mendes (DEM) e vai contra acordo firmado entre a Funai, o Ibama e o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit), durante governos anteriores.

Em reuniões com Mauro Mendes, em Brasília, o ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes, já teria informado que o denominado “Contorno Leste”, que desviaria o trajeto das terras indígenas, será descartado pelo atual Governo.

“Tivemos uma exigência por parte da Funai, com apoio do Ministério Público, e a decisão da Justiça de que a rodovia teria que ser desviada da reserva indígena. Isso foi feito, já temos a licença ambiental e já foi licitado. O primeiro lote está pronto para começar a obra. Acontece que mudou o Governo e muitos lá defendem que a rodovia deve continuar pelo traçado original. O governador e o presidente da República dizem isso. Agora, eu creio que quanto mais indecisão, mais o tempo passa e é pior. Se fizéssemos pelo contorno já teríamos inclusive o desenvolvimento regional, porque atinge vários municípios, são seis municípios beneficiados”, considerou Fagundes.

A BR-158 tem início no estado do Pará e vai até o Rio Grande do Sul, próxima à fronteira do Brasil com o Uruguai. Em Mato Grosso, a rodovia corta a região nordeste do estado, passando pelas cidades de Vila Rica, Confresa, Porto Alegre do Norte, Ribeirão Cascalheira, Água Boa, Nova Xavantina e Barra do Garças.

A área, que já foi alvo de disputa no passado, tem uma extensão de mais de 165 mil hectares e hoje está registrada em nome da União. Em 2013 o Governo Federal deu posse plena da terra aos Xavantes de Marãiwatsédé.

As obras naquela região estão paradas há quase 10 anos. O chamado “Contorno Leste”, traçado a partir de um acordo entre a Funai, o Ibama e o Dnit, aumenta o trecho em 90km e recebe críticas de produtores e empresários, que alegam aumento no custo do frete, uma vez que a região em questão é rota de escoamento da produção do Estado.

Durante visita a Mato Grosso, em junho, Tarcísio Gomes anunciou que o Governo Federal pretende iniciar obras de pavimentação na BR-158 ainda este ano, de acordo com o projeto original que corta a reserva Marãiwatsédé, mas até o momento nada foi licitado.   

Deixe um comentário