Força-tarefa é criada para resgatar animais atingidos pelo fogo no Pantanal


0
Foto: Mayke Toscano - SECOM/MT

Fonte: Olhar Direto

Uma força-tarefa foi criada pelo Comitê Estadual de Gestão do Fogo, do Governo de Mato Grosso, para resgatar animais que foram atingidos pelo fogo no Pantanal. Entre as ações, há um Posto de Atendimento a Animais Silvestres localizado no quilômetro 17 da Transpantaneira, que liga o município de Poconé a Porto Jofre. Desde sua criação, em agosto de 2020, 13 animais de pequeno e grande porte foram salvos.

A estrutura para abrigar os animais conta com ambulatório, almoxarifado, armário com medicamentos, alojamentos, cozinha, banheiro e recintos específicos para os bichos. Os recintos para transporte animal e tratamento foram feitos com a mão de obra de reeducandos e uso de madeira apreendida.

Entre os animais resgatados pelo comitê, há onças, lobetes, iguana, anta, jabuti, garça, jaguatirica; entre outros. Em casos de cirurgia ou atendimentos mais graves, os animais são encaminhados para clínicas parceiras ou instituições ecológicas de outros Estados do Brasil.

Nesta segunda semana de setembro, estão em acompanhamento um tuiuiú que foi encontrado próximo a uma pousada com fratura em uma das asas, uma maritaca machucada e com dificuldades para voar, e um pequeno roedor com queimadura nas patas e que foi resgatado próximo a uma fazenda atingida pelas queimadas.

“Eu não imaginava a gravidade do que está acontecendo aqui e o tamanho da área afetada por esses incêndios. Aparentava ser um controle simples de só apagar as chamas, mas quando o fogo termina em uma parte, já percebemos ele começando em outra”, relatou o médico veterinário e voluntário, Fernando Rogério, que está há quase uma semana no Pantanal para auxiliar nos resgates.

A equipe de resgate é formada por veterinários, biólogos, e estagiários que se revezam na operação realizada em períodos alternados em áreas queimadas ou que o fogo pode chegar, seja durante o dia ou noite. O grupo conta com o suporte do Corpo de Bombeiros em todas as ações, devido ao perigo dos incêndios ou animais maiores que apresentam riscos.

Os membro da equipe são responsáveis por resgatar e também distribuir alimentos em pontos estratégicos para que os bichos consigam localizar e se alimentar. A identificação dos pontos para distribuição de frutas e legumes é feita com base em localização de corixos (ambientes com poças de água). Estes são localizados com uso de aplicativo e monitoramento das equipes que avaliam também a questão do consumo dos alimentos, conforme explicou a médica veterinária Karen Ramos. Ela é responsável por liderar as equipes de trabalho em campo do PAEAS.

“Temos monitorados os corixos. Normalmente os animais que sofreram vão para essas regiões e fazemos uma ronda para possivelmente encontrar os animais queimados. Não há uma quantidade exata de alimento colocado, mas deixamos uma caixa de frutas e um cocho de 140 litros de água. Conforme acontece a redução do insumo, fazemos a reposição”, disse.

As equipes do Corpo de Bombeiros com o apoio de tratores estão fazendo demarcações em uma área de 50 quilômetros para criar uma espécie de aceiro (faixas ao longo das cercas onde a vegetação foi completamente eliminada da superfície do solo). A finalidade é prevenir a passagem do fogo para área de vegetação, evitando-se assim queimadas e criando também espaços para que os animais como onças e outras espécies menores possam escapar do fogo.

O trabalho segue sem previsão para terminar e a expectativa é de que as chuvas previstas para o mês de outubro possam contribuir para amenizar os impactos no meio ambiente e na vida animal. Ainda não há um levantamento sobre a porcentagem de animais encontrados mortos ou quantos estariam ameaçados pelos incêndios.

Como ajudar

A população pode apoiar o resgate dos animais doando utensílios e medicamentos veterinários conforme lista disponível no site do Conselho Regional de Medicina Veterinária (CRMV-MT) ou pela vaquinha virtual organizada pela ONG Ampara Silvestre.

Os medicamentos e utensílio veterinários podem ser entregues na sede do CRMV-MT localizada na Rua Choffi (Ten. Tavares), 178, Santa Rosa – Cuiabá-MT. (Atrás do supermercado Extra da Miguel Sutil) de segunda a sexta-feira das 8h às 17h. O cadastramento de voluntários também pode ser feito pelo site.

Deixe um comentário