Delator confessa que recebeu 3% de propina para usar empresa em triangulação e ‘branquear’ desvio


0
Foto: Rogério Florentino Pereira/Olhar Direto

Empresário e delator premiado, Filinto Muller confessou ter usado a empresa SF Assessoria e Organização de Eventos em triangulação para lavar propina cobrada na Secretaria de Estado de Transporte e Pavimentação Urbana. Em troca, o colaborador receberia 3%.

Conforme denúncia oferecida pelo Ministério Público no dia 19 de janeiro, a empresa Geosolo Engenharia,  propriedade de José Mura,  recebeu do Governo do Estado de Mato Grosso, no ano de 2013, montante de R$ 1,8 milhão por obras realizadas.

Segundo acusação, a liberação do montante ficou condicionada a retorno de 50% em benefício do procurador aposentado Francisco Gomes de Andrade Lima Filho, vulgo Chico Lima.

Ato posterior, a empresa SF Assessoria e Organização de Eventos recebeu transferências e também um cheque oriundo da empresa P. A Mura Náutica, totalizando o montante de R$ 900, justamente correspondente ao aproximado de 50% do valor recebido pela Deosolo.

A Geosolo é de propriedade do denunciado José Mura Junior e sua esposa, Gisele Turíbio Schuze Mura. A empresa P.A Mura Náutica é de propriedade de Pedro Augusto Mura, filho do casal.

Em sua declaração, o Colaborador Filinto Muller afirmou que foi procurado por Chico Lima para receber, por meio da sua empresa SF Assessoria, valores oriundos de “restos de obras” de uma empresa, no caso a Geosolo.

Segundo o colaborador, Chico Lima lhe afirmou que, para a Geosolo conseguir tal recebimento, havia combinado com o representante da empresa que o montante de 50% retornaria para ele, e que 3% do valor da vantagem indevida seria para por conta do “branqueamento” desse dinheiro.

O caso

O Ministério Público de Mato Grosso denunciou os ex-secretários de Estado e atuais colaboradores premiados, Pedro Nadaf e César Roberto Zílio, por suposta prática de corrupção e lavagem de dinheiro durante o ano de 2013. Caso será julgado na Sétima Vara Criminal de Cuiabá.

Conforme os autos, crimes ocorreram na Secretaria de Estado de Transporte e Pavimentação Urbana. Processo tem como base delação premiada firmada pelo empresário Filinto Muller.

Foram denunciados ainda o procurador aposentado Francisco Gomes de Andrade Lima Filho, vulgo Chico Lima, e os empresários José Mura Júnior, Pedro Augusto Mura e Eder Augusto Pinheiro.

Segundo acusação, ação é baseada em investigação sobre vantagem indevida na importância de R$ 900 mil paga por José Mura para liberação de valores de “restos de obras” do Governo do Estado de Mato Grosso, no valor de R$ 1,861 milhão.
Fonte: Da Redação – Arthur Santos da Silva

Deixe um comentário