Paciente é pedido em casamento na frente de hospital em Cuiabá após passar 38 dias em UTI; veja vídeo


0
Arquivo Pessoal

Em meio ao clima de tensão que cerca o Hospital Geral de Cuiabá (HGU), uma declaração de amor em forma de pedido de casamento chamou atenção de quem passava pelo local. O ato foi protagonizado pelo técnico de enfermagem Douglas Nascimento, que ao buscar seu namorado, o vendedor José Carvalho da Cunha, se ajoelhou e fez a clássica pergunta, “quer casar comigo?”. No momento do pedido, o namorado de Douglas tinha acabado de receber alta após 38 dias internado por conta da Covid-19.

Toda a demonstração de carinho foi registrada em um vídeo que circulou pelas redes sociais. Entre celulares, cartazes e certezas, o vendedor superou as limitações causadas pela doença e ampliadas pelo uso da máscara, e anunciou que aceitaria se casar com Douglas.

Juntos há aproximadamente quatro anos, o casal já tinha planos para formalizar a união, mas acabaram adiando por conta da pandemia. O desejo de fazer o pedido surgiu nos momentos de aflição, já que David estava internado desde o dia 3 de março em um leito de uma Unidade de Terapia Intensiva (UTI).

Segundo Douglas, o agora noivo estava intubado e precisou passar por alguns procedimentos invasivos para seguir com o tratamento contra a doença. Por conta de complicações causadas pelo vírus, David chegou a ter 50% do pulmão comprometido. Durante todo este período, o técnico de enfermagem contou que fazia o possível para se manter ao lado do noivo.

“Desde o dia que ele internou eu recebia um boletim médico da equipe do HGU, isso uma vez por dia. No início, quando o estado dele era mais grave eles não me deixavam entrar, consegui apenas me despedir dele bem antes e depois fiquei uns 20 dias sem ter contato com ele”, contou.

Questionado sobre os sentimentos que o levaram a fazer o pedido justamente no dia em que David saiu do hospital, Douglas afirmou que o medo de perder o noivo e a vontade de viver uma vida ao lado dele foram decisivos para chegar a decisão de fazer o pedido.

“Antes a gente até pensava em casar, mas ficava naquela coisa de que vai pedir quem em casamento. Aí veio essa pandemia, o medo batendo de frente comigo enquanto pensava em muita coisa negativa, até que um dia eu pensei comigo, ‘o dia que ele sair do hospital eu vou pedir ele em casamento’, não queria esperar mais. Tudo o que eu gostaria era viver uma vida com ele”, relatou.  

Em meio ao afeto, também reverberam as falas de ódio 

Apesar do sopro de esperança reconhecido por muitas pessoas que tiveram contato com o vídeo, também surgiram diversos comentários homofóbicos contra o pedido. Em um deles, um internauta chegou a debochar da atitude, condenado a atitude do rapaz como um exemplo de pecado.

Diante das declarações, Douglas reafirmou que todos os comentários preconceituosos são muito pequenos perto da felicidade que sente ao lado do noivo. “Antes me incomodava muito, mas hoje sinto que estou em uma outra fase. Depois que conheci o David e diante de tudo que eu passei com ele, aprendi a focar na minha felicidade. Não vou dizer que é legal ouvir e ler isso, porque não é, mas a vida é muito curta para se preocupar com essas pessoas. Estou focado na minha felicidade com o meu noivo”, desabafou.

Ao relembrar dos momentos de carinho que cercam a rotina do casal, o técnico de enfermagem contou que o amor também é uma forma de cura. “Conversava com uma amiga minha e ela sempre me incentivava a gravar áudios para que o David pudesse me ouvir enquanto estava sedado, assim ele podia sentir que tinha gente esperando por ele. Creio que o amor vence muita coisa, inclusive acredito que todas as vezes que conseguia ver ele, despertava mais ainda a vontade dele em voltar para a casa e viver uma vida comigo”, finalizou.

Fonte: Olhar Direto – Marcos Salesse

Deixe um comentário