Agenda Positiva de Governança


0
Arquivo Pessoal

Autor: Cristhiane Brandão

Uma agenda para uma governança que inspira, inclui e transforma. Em seus 25 anos de história, o Instituto Brasileiro de Governança Corporativa (IBGC) vem trabalhando para conscientizar líderes de empresas e dos mais diversos tipos de organização sobre a boa Governança Corporativa.

Os princípios básicos estão pautados na transparência, equidade, prestação de contas e responsabilidade corporativa. Neste alicerce, a Agenda Positiva de Governança propõe, de forma voluntária, a adoção e o resgate de valores, conceitos e ações que são aplicáveis a líderes e gestores de todos os tipos de organizações, negócios ou empresas.

O objetivo desta agenda está na transformação das condutas, e do modo operante enraizado à linha do tempo na gestão administrativa. Desta forma, medidas práticas podem ser adotadas, balizadas em seis pilares fundamentais, sendo a Ética e Integridade o primeiro pilar a ser trabalhado. Também integram os pilares: (2) Diversidade e Inclusão; (3) Ambiental e Social; (4) Inovação e Transformação; (5) Transparência e Prestação de Contas; e (6) Conselhos do Futuro.

O segundo pilar, Diversidade e Inclusão, sem dúvida, é um dos mais atuais e desafiadores, já que não é possível isolar o ambiente interno de negócios da realidade latente de uma nova geração. Veja que não estamos falando apenas do consumidor final, mas, principalmente, do público interno das organizações. Como lidar com os desafios propostos pelo tema da diversidade e inclusão? Vamos lidar como um fardo, uma obrigação, ou uma “regra”? A diversidade e a inclusão só entrarão no radar, se esta agenda for tratada nas pautas das decisões estratégicas.

Exatamente no dia 21 de junho deste ano, a cantoria Anitta foi nomeada para o Conselho de Administração do Nubank. “Anitta tem profundo conhecimento do comportamento dos consumidores nesses mercados que tem explorado e tem muita experiência em estratégias de marketing vencedoras. Essas competências foram chave para a convidarmos para o conselho. Nenhum outro conselheiro possui essa experiência”, disse David Vélez, CEO e fundador da empresa.

Nesse sentido, o trabalho se amplia e complementa por meio das 15 medidas, dentre elas, destaco quatro como formas práticas de implementar a Agenda Positiva da Governança. Uma das mais importantes é o alinhamento dos seis pilares da agenda com o propósito, a cultura organizacional e os modelos de negócio e de geração de valor.

Além de zelar para que os relacionamentos da organização com seus colaboradores, clientes, fornecedores, sócios e demais partes interessadas sejam baseados nos mais sólidos princípios de integridade; bem como capacitar pessoas para que a organização se desenvolva em um novo contexto de negócios: mais íntegro, transparente, sustentável, diverso e inovador.

Nada disso é possível sem que nossos líderes e gestores se esforcem para adotar os princípios básicos da Governança Corporativa nas atividades que devem nortear a gestão e o diálogo da organização com as partes interessadas.

A implementação da Agenda Positiva de Governança é muito importante para direcionar o trabalho desenvolvido pelas organizações e empresas, antecipando-se às mudanças provocadas pela sociedade e fortalecendo o protagonismo das lideranças. Sem dúvida a pandemia acelerou os processos de inovação e também a busca por uma maior equidade, respeito às pessoas e à valorização do meio ambiente.

Mais do que resultados econômicos e financeiros, o mundo precisa de pessoas que possam apresentar melhores respostas à sociedade. Você e a sua empresa ou organização estão preparados para esse “novo normal”? Porque ele está apenas começando, pense nisso!

Deixe um comentário