Pesquisadores lançam livros sobre biodiversidade de área de transição da Amazônia e Cerrado


0
Reprodução

Serão lançados no próximo dia 30 de novembro, na Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema-MT), os livros Biodiversidade da Estação Ecológica do Rio Ronuro e Espécies Arbóreas – Estação Ecológica do Rio Ronuro. As obras são frutos de pesquisas realizadas por pesquisadores da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), com colaboração de acadêmicos e pesquisadores de outras instituições, inclusive de outros Estados e até de fora do Brasil. Os livros serão doados a universidades em Mato Grosso e a escolas localizadas nas proximidades da unidade de conservação.
De acordo com o coordenador do projeto, o professor Domingos de Jesus Rodrigues, da UFMT, esta foi uma cooperação dos pesquisadores com a Sema, para que pudessem estudar a biodiversidade das unidades de conservação de Mato Grosso, principalmente as da região amazônica. Estas não foram as primeiras obras oriundas das pesquisas.

“Começamos em 2012, fizemos um livro sobre o Parque Estadual do Cristalino, e nisso tem vários alunos e pesquisadores envolvidos, fazendo também atividades de monografia, dissertações de mestrado, teses de doutorado, que ocorrem simultaneamente à produção de conhecimento para a geração do livro. Terminamos o livro do Parque Estadual do Cristalino, continuamos trabalhando lá, mas fomos para a Estação Ecológica do Rio Ronuro, onde desenvolvemos estes dois livros”, explicou o professor Domingos.

Segundo ele, o intuito é que os livros sejam doados, ou seja, que haja distribuição gratuita deles a universidades no Estado e a escolas das proximidades da unidade de conservação. Ele disse que a Estação Ecológica do Rio Ronuro tem sua particularidade pois se encontra ao sul da Amazônia e no início do Cerrado mato-grossense.

“Esta unidade de conservação é mais ao sul da Amazônia e pega parte do Cerrado, portanto é uma área de transição, então resolvemos fazer um livro, primeiro, sobre as espécies arbóreas da região, para atender os pequenos produtores rurais. Queremos atender também a cidade, para que faça um viveiro e produza mudas para ajudar os pequenos produtores rurais a resolverem a questão do passivo ambiental. Depois veio o livro sobre os conhecimentos da biodiversidade desta unidade de conservação”, contou o pesquisador.

A produção dos livros contou com a participação de mais de 80 pessoas, até mesmo de pesquisadores internacionais, como uma da Universidade de Michigan, nos Estados Unidos, bem como pesquisadores de universidades de outros Estados do Brasil, como da UFPR, do Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (Inpa), do Instituto Butantan, de São Paulo. No entanto, o corpo principal foi de pesquisadores da Universidade Federal de Mato Grosso.

“Porque às vezes temos aqui um pesquisador que trabalha com um grupo de aranhas, por exemplo, mas aí encontra-se muitas aranhas de outro grupo, então faz contato com outro pesquisador, que acaba participando também do capítulo do livro. Estes são livros mais macro, mais gerais, nossa ideia é que depois possamos fazer guias de investigação para cada um destes grupos. Por exemplo, queremos fazer um guia de aves da Estação Ecológica do Rio Ronuro, e ele pode ajudar as pessoas a conhecerem melhor as aves, e aí também contribui com o birdwatching, os observadores de aves, que é um ponto muito forte para o turismo, e fomenta este tipo de atividade”.
O lançamento dos livros ocorre no próximo dia 30 de novembro, às 15h30 horas, no auditório da Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema-MT), em Cuiabá.

Fonte: Olhar Conceito

Deixe um comentário