ALMT intervém para evitar paralisação de atendimento na Santa Casa de Rondonópolis

Médicos da UTI pediátrica pediram demissão em decorrência de atrasos salariais. Repasses devem ser feitos à prefeitura municipal

0

A Assembleia Legislativa de Mato Grosso (ALMT) realizou uma reunião com representantes do Hospital Santa Casa de Rondonópolis e da Secretaria de Estado de Saúde (SES) no intuito de evitar a paralisação dos trabalhos na Unidade de Tratamento Intensivo (UTI) pediátrica do hospital. Os médicos que atuam no setor pediram demissão em decorrência de atrasos salariais e devem trabalhar até 15 julho, caso a dívida não seja saldada.

A Santa Casa de Rondonópolis possui dez UTIs pediátricas que atendem a população da região sul do estado. Com o aviso de suspensão dos trabalhos dos médicos, as unidades não teriam como dar continuidade aos atendimentos e por isso já recusam novos pacientes. De acordo com o representante da Santa Casa, Sinézio Alvarenga, o hospital possui um déficit com relação aos repasses do Sistema Único de Saúde (SUS) no valor de R$ 12 milhões desde 2015.

Ainda de acordo com o representante, para dar continuidade aos trabalhos, a Santa Casa contratou R$ 10 milhões em empréstimos com bancos, mas mesmo assim a folha salarial está atrasada desde março, quando só 40% dos funcionários foram pagos.

O representante da SES, Vagner Simplício, afirmou que é necessário garantir a continuidade dos serviços a partir da união de todos agentes envolvidos, públicos e prestadores de serviços. “Viabilizamos para que, junto com a prefeitura de Rondonópolis, possamos garantir o funcionamento do contrato com a Santa Casa”.

De acordo com o representante, os hospitais filantrópicos não possuem contrato diretamente com o governo do estado, mas com as prefeituras, que ficam responsáveis pelos repasses dos recursos encaminhados pelo governo e por isso o trabalho será para agilizar o pagamento à prefeitura de Rondonópolis.

A Assembleia intermediou o encontro entre o hospital e a Secretaria de Estado de Saúde atendendo a um pedido do deputado Sebastião Rezende (PSC). O presidente da ALMT, deputado Eduardo Botelho (DEM), destacou essa atuação da instituição. “Chegamos a um consenso para que o Estado pague parte da dívida com a prefeitura e assim equalize a dívida até que o fundo passe a ser recolhido e repassado a partir de agosto. O papel da Assembleia, além de legislar e fiscalizar, é promover o diálogo e intermediar as discussões entre os poderes e a sociedade no intuito de encontrar soluções”.

Participaram da reunião os deputados Eduardo Botelho (DEM), Sebastião Rezende (PSC), Wilson Santos (PSDB), Janaina Riva (MDB), Ondanir Bortolini – Nininho (PSD), Allan Kardec (PDT) e Dr. Leonardo (SD).

 

Fonte: ALMT

Deixe um comentário