Carille admite consultas da China, mas nega acordo: ‘Não há nada’


0
© Fornecido por Areté Editorial S.A

Fonte: Msn

O Corinthians foi derrotado pelo Fluminense por 1 a 0, neste domingo, com direito a falha grave de Cássio, e teve invencibilidade de 14 jogos interrompida. Na coletiva após a derrota, no Mané Garrincha, em Brasília, o técnico Fábio Carille foi questionado sobre supostas consultas do Tianjin Teda, da China, por seu trabalho. Diante da pergunta, o treinador buscou esclarecer a questão.

– Muitas pessoas da imprensa perguntaram pra mim, e quem perguntou deu a informação certo. Esse tipo de carta de intermediário chega toda hora para os meus empresários, toda hora, graças a Deus. E por respeito eles recebem, daí sim e não. O Paulo, o Marcelo, meus empresários, sempre chega. A primeira procura aconteceu 5 de julho, falei "obrigado", não falo nem sim, nem não, falo pra procurar o empresário – disse o treinador, que negou qualquer acordo.

– De repente essa semana chegou essa carta. Não tem nada, não tem nada. Muitas pessoas falaram o quanto ia ganhar, mas é um absurdo o que leva de mentira, o que quiser usar, para o torcedor. Existe, sim, uma carta. Para ser sincero fui atrás pra saber do jeito que ficou, mas tem um monte. Desde a semana do Grêmio, em 2017, que ganhamos por 1 a 0 gol do Jadson, chega proposta. Uma carta de interesse pra abrir conversa, nada mais. Nem sei se vai ter proposta – comentou o treinador.

ENTENDA O CASO: 'CHUVA DE VERÃO'

Na última sexta, Andrés Sanchez – presidente do Corinthians – foi sobre a suposta sondagem do clube chinês por Fábio Carille. Irônico, o cartola limitou-se a dizer que aquilo era uma 'chuva de verão' – referindo-se a algo passageiro e sem grandes consequências.

De acordo com a apuração do L!, os chineses autorizaram dois empresários a procurarem Fábio Carille e iniciarem uma negociação. O contato, no entanto, foi prontamente negado pelos representantes do treinador. O comandante do Timão está focado na reta final da temporada e também no planejamento para o ano que vem, quando o Corinthians espera voltar à disputa da Copa Libertadores.

Deixe um comentário