Capacitar para libertar – 25 de novembro – Dia Internacional de Combate À Violência Contra a Mulher


0

Fonte: Olhar Direto

A violência contra mulher se mostra um desafio que atravessa décadas, fronteiras geográficas, classes sociais e etnias. Segundo os dados coletados pela DEDM (Delegacia Especializada de Defesa da Mulher) de Cuiabá em 2018, mais de 3 mil mulheres foram vitimadas em 2018 por algum tipo de violência doméstica. Esses dados mostram apenas o número das vítimas que buscaram por ajuda em nossa capital, imaginemos quantas sofrem caladas sem a coragem e apoio para denunciar.

Em nosso trabalho no Qualifica Cuiabá 300, projeto que oferece qualificação profissional gratuita, identificamos que a qualificação oferecida ajudava mulheres a saírem de relacionamentos violentos. Ao acompanhar de perto o projeto, pude conhecer histórias de mulheres cuiabanas que sofreram violência doméstica e observar o impacto positivo da qualificação profissional em suas vidas. Descobrimos ainda que por meio do trabalho e da informação empoderamos mulheres, principalmente economicamente, ajudando-as a quebrar o ciclo da violência.

Procurando agir de maneira rápida, criamos o Qualifica 300 Mulher, levando além de cursos, palestras sobre violência doméstica e as incentivando a desabafarem e ver em nós suas amigas, confidentes. Esta edição do projeto tornou-se importante instrumento na quebra do ciclo da violência doméstica.  Por vezes, mulheres se mantêm em relacionamentos abusivos e violentos por serem dependentes economicamente de seus companheiros. Dar oportunidade para que essas mulheres adquiram novos conhecimentos, conheçam um novo modo de ganhar dinheiro, aumentem sua autoestima e ganhem uma nova profissão é o modo prático e imediato que conseguimos para agir no combate à violência doméstica.

Pensando nas mulheres do futuro, no programa Siminina incluímos palestras, orientações e diversos cursos, preparando nossas simininas para um belo futuro em que encontrem sucesso profissional, independência e cobrem respeito.

Engajar na luta pelo fim da violência contra a mulher é nosso dever como cidadãos. Desejo que procuremos, não só hoje, mas todos os dias, refletir sobre como podemos modificar esta triste realidade de violência. Seja com nossas amigas, na nossa comunidade religiosa, nossa vizinhança e outros espaços que precisam da nossa ajuda. Espalhemos o amor e a compreensão.

Márcia Kuhn Pinheiro Administradora de empresas, pós-graduada em gestão pública e atual primeira-dama de Cuiabá. Idealizadora do programa de capacitação Qualifica Cuiabá 300.

Deixe um comentário