Prefeito acusa vereador de ir em centro de “macumba” para colocar seu nome “na boca do sapo”


0
Foto: Rogério Florentino/Olhar Direto

Fonte: Olhar Direto

O prefeito de Cuiabá, Emanuel Pinheiro (MDB), aproveitou o lançamento de uma obra de rede de esgoto em bairros da região Sul da capital para o vereador Marcelo Bussiki (PSB) de estar fazendo “macumba” com seu nome.

Pinheiro disse que pediu para fotografar, porque o vereador teria sido visto em um centro de umbanda, inclusive colocando o nome do prefeito na boca de um sapo. “É tanta gente torcendo pra dar e eu só entregando obra. Eu soube até que ele [Bussiki] foi visto num centro de macumba, fazendo macumba, viram e ele eu pedi para fotografar. Amarrando meu nome na boca de um sapo”, apontou Emanuel.

Ainda segundo o prefeito, para tal situação ele tem provas. “Fiquei sabendo. Dizem que ele frequenta. Eu tenho prova disso”, comentou o prefeito, ainda dizendo que a “cabeça de alguns vereadores são tão pequenas que cabem a história de Cuiabá”, frisou Emanuel.

Para o gestor, tal motivo do vereador que faz parte do bloco de oposição na Câmara de Cuiabá, seria por conta de um empréstimo que ele estaria tentando para viabilizar obras da capital, que seria em torno de 115 milhões de dólares.

“Só Cuiabá e Belo Horizonte (MG) conseguiram aval para seguir em frente desse empréstimo. Não está feito o financiamento. Nós apenas conseguimos o aval para continuar com o processo. E isso com certeza será para um legado futuro. Mas, a oposição torce pelo quanto pior, melhor”, disse o prefeito.

O evento que Emanuel deu o depoimento aconteceu nesta quarta-feira (19), no bairro Jardim Industriário. Por lá acontecerão obras de ampliação da rede de drenagem de águas pluviais, recapeamento e recomposição asfáltica da Rua 30, no bairro Jardim Industriário.

A intervenção tem o objetivo de solucionar um problema crônico da via, que recebe diariamente um grande fluxo de veículos. Por ter uma estrutura de drenagem antiga, os moradores da região constantemente enfrentam problemas com alagamentos. Além disso, a deficiência no escoamento da água impacta diretamente na aparição de buracos na rua.

O trabalho será coordenado e fiscalizado pela Secretaria de Obras Públicas e executado pela empresa Borges e Junqueira Construções. No total, o Município investe R$ 736.030, para a recuperação completa da rua. Conforme o cronograma, a previsão é de que atuação no local dure cerca de 120 dias.

Deixe um comentário