Clínica do Povo culpa terceirizada por descarte irregular de 18 cães a céu aberto;


0
Foto: Reprodução

Fonte: Olhar direto

A Clínica do Povo, um das investigadas no caso do descarte de 18 cachorros, que foram encontrados em uma área de mata no bairro Jardim Imperial, em Cuiabá, culpa a empresa WM Ambiental pelo descarte irregular. Imagens das câmeras de segurança foram enviadas para a Delegacia de Meio Ambiente (Dema), que apura o caso.

Em nota, a Clínica do Povo explica que recebeu uma mensagem, no dia 13 de maio, de um colaborador da empresa WM Ambiental, prestadora de serviço de coleta de resíduos, para verificar se haveria retirada na semana, o que foi confirmado. No outro dia, ainda segundo a empresa, três funcionários uniformizados, em um caminhão com a logo da WM Ambiental, fizeram a retirada dos animais mortos para a devida destinação.

No sábado, 16 de maio, por meio da imprensa, representantes Clínica Veterinária do Povo souberam do descarte irregular, identificaram que seriam provenientes de sua unidade e, conforme nota, imediatamente entraram em contato com as autoridades para ajudar nas investigações, já que na mesma semana houve coleta no consultório veterinário.

“As imagens do circuito de segurança de um condomínio próximo de onde os animais foram encontrados mostram a chegada e a partida do caminhão da WM Ambiental do local. Estas imagens, bem como o documento do romaneio da coleta assinado pelo funcionário da WM Ambiental, já estão sob responsabilidade das autoridades, assim como as imagens do circuito interno de câmeras da clínica, que investigam o caso”, diz trecho da nota.

A Clínica do Povo reiterou o compromisso com a saúde e o bem-estar dos animais, com a transparência de seus serviços e lealdade a todos os clientes. Além disto, a empresa repudiou o encaminhamento inadequado de animais mortos.

“A empresa se solidariza com as pessoas que tinham vínculo afetivo com os animais encontrados recentemente ou que, de alguma maneira, assim como nós, se comoveram com o descaso e com a irresponsabilidade socioambiental dos autores deste crime. A diretoria da Clínica Veterinária do Povo tomou todas as providencias cabíveis assim que soube que parte dos resíduos eram provenientes da sua unidade e foram descartados criminalmente. Estamos munindo as autoridades que investigam o caso de informações”, finaliza a nota.

Outro lado

A empresa WM Ambiental negou contrato com a Clínica Veterinária do Povo e afirmou que os serviços foram suspensos em maio de 2017, por falta de pagamento. O proprietário da veterinária, que deverá prestar esclarecimentos sobre os 18 cachorros encontrados mortos em uma área de mata no bairro Jardim Imperial, em Cuiabá, no entanto, afirma ter todas as solicitações de coleta e o romaneio de retirada de resíduo.

Procurada, a WM Ambiental esclareceu que o veículo realizou a coleta, mas se deslocou sem conhecimento e consentimento da empresa, após ter sido solicitada de forma clandestina pelo responsável da Clínica, direto no telefone particular do funcionário da WM.

“Foi esclarecido pelos próprios funcionários, onde relataram para autoridade policial e confessaram que realizaram a coleta, agindo em benefício próprio, eximindo qualquer responsabilidade da empresa”, diz trecho da nota.

A contratação clandestina teria ocorrido porque a Clínica do Povo possui débitos a serem quitados com a empresa, e por este motivo, não conseguiria reativar seu contrato e suas coletas, sem que antes houvesse pagamento das faturas.

“Ressaltamos ainda que, o documento de coleta apresentado em nota pela Veterinária do Povo nas redes sociais, não correspondem com a veracidade dos fatos, e isso será comprovado pelas vias de fato e de direito. Permanecemos a inteira disposição da imprensa para maiores esclarecimentos, enaltecendo a competência da Delegacia do Meio Ambiente, sempre em busca da verdade real”, finalizou.

Veja vídeos: 

O caso 

Os cachorros foram encontrados na quinta-feira (14). No sábado (16), foram cumpridos cinco mandados de busca e apreensão deferidos pela Vara Especializada do Meio Ambiente.

Em publicação no Facebook, a Clínica Veterinária do Povo disse que está colaborando com o inquérito policial e que uma empresa terceirizada faz o serviço há muito tempo.

Deixe um comentário