Irritado com cobranças, Mauro chama críticos de medíocres e alfineta hospital de Dória


0
Foto: Rogério Florentino/Olhar Direto

Fonte: Olhar Direto

Irritado com as várias críticas que vem recebendo desde a semana passada na redes sociais por conta da aprovação do projeto de lei que permite o aumento da gratificação de servidores públicos em cargos em comissão, em um momento de pandemia, o governador Mauro Mendes (DEM) disse que está combatendo a Covid-19 com a criação de diversos leitos, chamou seus críticos de medíocres e ainda desaprovou atitudes do governador de São Paulo João Dória (PSDB).

No discurso feito durante a cerimônia de entrega de 149 caminhonete para as forças de segurança, o governador afirmou que muitos cobraram, e sem conhecimento, para que ele fizesse na Arena Pantanal, o que a prefeitura e o Governo de São Paulo fez no estádio Pacaembu e no Complexo Esportivo do Ibirapuera, criando leitos provisórios para combater o coronavírus, ação que ele reprovou.

“Muitos prefeitos e governadores optaram por construir um hospital de campanha. Quando eu anunciei que ia fazer o Hospital Metropolitano e ampliar 210 leitos, muitos me criticaram nas redes sociais, pediram para eu fazer igual ao Dória, um hospital de campanha na Arena Pantanal. Este é o caminho que a maioria enxerga que consegue tomar, mas nós construímos em 45 dias, e quem esteve lá sabe o padrão de qualidade de uma obra definitiva”, iniciou o chefe do Executivo.

“Eu recebi o orçamento de três empresas e duas delas fizeram estes mesmos hospitais de campanha em São Paulo, que custaram de R$ 15 a R$ 16 milhões. É exatamente o que nós gastamos para fazer uma obra definitiva. É uma obra que está atendendo ao Covid, mas que depois ficará para sempre com qualidade, podendo ser um novo centro de referência de alta complexidade para atender a baixada cuiabana e tantas outras regiões de Mato Grosso. Isso é ir além do senso comum, isso é ir além da mediocridade de algumas pessoas que não enxergam nem o óbvio”, continuou.

Durante o evento, que deveria ser uma comemoração, o governador também disparou contra o prefeito de Cuiabá Emanuel Pinheiro (MDB), dizendo que ele não criou um leito de UTI para ajudar no tratamento de pacientes infectados e contra o deputado Ulysses Morais (PSL), a quem ele chamou de ‘desrespeitoso’, pela forma como ele fez o enfrentamento ao projeto do aumento da gratificação de servidores em cargos de comissão.

Na semana passada, o governador inaugurou a obra de reforma e ampliação do hospital Metropolitano de Várzea Grande, que foi transformado na unidade referência para o tratamento ao novo coronavírus no Estado. Foram investidos R$ 16, 5 milhões e agora o local conta com 278 leitos definitivos para atender aos pacientes da Covid-19.

O hospital passou a ter 238 leitos clínicos e 40 leitos de UTI definitivos, sendo 210 totalmente novos, dos quais 180 são leitos clínicos e 30 de UTI. As obras começaram em 23 de março, com prazo de conclusão inferior a dois meses.

Deixe um comentário