Juiz mantém prisões em ação sobre morte de homem que tentou evitar assalto em lava jato


0
Foto: Reprodução

Fonte: Olhar Direto

O juiz Jorge Tadeu, da Sétima Vara Criminal de Cuiabá, manteve prisão preventiva contra cinco pessoas acusadas pelo latrocínio praticado contra Adriano Figueiredo de Oliveira. A vítima foi morta ao tentar impedir roubo a lava jato de Cuiabá. Decisão é do dia 29 de julho.

Foram mantidas a prisões dos Juliano Rondon do Vale Silva, Elian Silva Bispo de Campos, Jose Igor Rodrigues dos Santos, João Alves da Rosa e Pablo Augusto Almeida do Nascimento, assim como a prisão domiciliar de Barbara Mayara Queiroz. Segundo o juiz, cautelar diversa não “será capaz de produzir os efeitos desejados e suficientes à garantia da ordem pública e garantia da aplicação da lei penal”.

Assalto registrado em um lava jato no bairro Consil, em Cuiabá, matou uma pessoa baleada durante o mês de janeiro de 2019. Homem identificado como Adriano Figueiredo, 38, foi alvejado e morreu após ser socorrido.

Três homens portando uma arma amarraram o dono do lava jato para tentar roubar carros do estabelecimento. Um veículo modelo Chevrolet S-10 era o alvo, porém, estava quebrado. Os envolvidos então resolveram levar um automóvel modelo Volkswagen Gol.

Durante a ação, morador da região, que transitava pelo local para fazer sua caminhada matinal, avistou o crime e tentou impedir, utilizando uma pedra. Ele foi baleado pelos bandidos na região do peito. Após a fuga dos envolvidos, o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) foi chamado e levou a vítima ao Pronto-Socorro Municipal de Cuiabá.

Deixe um comentário