Música cristã, orações e distribuição de panfletos marcam campanha de saúde mental no polo SESI Papa


0

Servidores que atuam no polo de vacinação do SESI Papa comemoraram o Setembro Amarelo, mês de prevenção ao suicídio, com uma tarde de música cristã ao vivo, oração e distribuição de panfletos produzidos pelo Núcleo de Apoio à Saúde da Família (NASF) sobre a campanha para as pessoas que foram se vacinar contra a covid-19. A maioria foi vestida de amarelo e a tenda de vacinação também foi decorada com balões da mesma cor. A ação foi realizada na sexta-feira (10).

A irmã de caridade Sílvia Maria Bruno e o instrumentista Vinícius Vilela encantaram a todos com cânticos cristãos, num dueto de voz e violão; e a priora da Irmandade Nossa Senhora Auxiliadora, da Paróquia São Gonçalo, Vânia Mazarello, levou palavras de fé, com a leitura da Bíblia, palavras de amor e gratidão aos profissionais da linha de frente do combate à covid-19, além de orações.

“Pra falar de Jesus, a gente não tem hora, não tem dia, não tem lugar. Quando Iolazil me falou de um dia que vocês tiveram de oração, eu, com o espírito de Maria, falei: A gente também pode ir aí levar um pouquinho dessa mensagem e o reconhecimento por todo o trabalho e por todo esforço, e um pouquinho de ânimo porque eu seu que á fatigante. Então, um pouquinho que a gente faz aqui, renova. Nós não temos mais do que reclamar, só temos o que agradecer e falar coisas boas. Então, nos momentos em que vocês desanimarem contem conosco”, afirmou a priora Vânia Mazarello.

Emocionada, a coordenadora do polo, a enfermeira Iolazil Reis, que é católica, falou da emoção de trabalhar no SESI Papa. “Aqui é um lugar santo. Os católicos fazem o Vinde e Vede, o Papa já esteve aqui e nós vacinamos as pessoas aqui. Eu rezo todo santo dia um Pai Nosso e uma Ave Maria e peço a proteção de Deus e de Nossa Senhora para que nos dê paciência para estar lidando com a comunidade. A irmã falou que sempre está rezando por nós e nós só temos a agradecer porque nós exercemos uma profissão de risco, não sabemos quem estamos atendendo, se está doente, alguns vem com falta de educação, mas temos que rezar sempre pedindo proteção”, disse.

A tarde de música ao vivo foi aprovada pelos pacientes que estiveram no local para se vacinar. Rosevânia Coelho Santiago, estagiária na Polícia Militar, foi tomar a primeira dose da vacina contra a covid-19 e se declarou “muito feliz”. “Já são 2 anos de pandemia e perdemos muitas pessoas, então, é muito bom estar tendo essa oportunidade, embora muitas pessoas não tiveram”. Cristã, a jovem aprovou a apresentação musical no polo de vacinação. “O pessoal aqui está fazendo um trabalho muito bom, dando uma atenção que muita gente não tem dado”, disse.

A dona de casa Maria Caroline de Campos Andrade Soares foi receber a segunda dose e comemorou o momento, uma vez que teve covid-19 há 6 meses, chegando a ficar internada por também sofrer com bronquite asmática. “Foi bem difícil, fiquei no hospital 11 dias. Com certeza estar me vacinando é uma vitória”, disse. Em relação à música ao vivo, ela classificou como “perfeito”.

 

Deixe um comentário