Mendes sustenta que a liberação de dois criminosos presos com 420 quilos de cocaína representa a entrega do país ao tráfico

0
37
Foto: Reprodução
CAMARA VG

É uma vergonha. “O judiciário está falhando ou as leis deste país são um fracasso”, disparou o governador Mauro Mendes (União), após a Justiça Federal conceder a liberdade provisória a Rosivaldo Herrera Poquiviqui e Marcos Antonio Rodrigues Lopes, presos no sábado, transportando 420 quilos de cocaína e maconha pela fronteira com Mato Grosso, na região de Porto Esperidião.

De acordo com Mendes, não adianta investir milhões de reais, arriscar a vida de militares para tentar impedir o tráfico internacional e, logo após a prisão, a Justiça conceder a liberdade aos criminosos.

Como tenho afirmado, ou as leis neste país são insuficientes ou o judiciário está inoperante. É inviável manter um batalhão na fronteira, gastar milhões de reais por ano, arriscar a vida de nossos policiais militares para inibir o tráfico internacional, a entrada de drogas no Brasil e no Mato Grosso, prender dois cidadãos, dois indivíduos, dois criminosos e, em menos de 24 horas, esse indivíduo permanecer solto. “É um absurdo”, disparou.

O governador também solicitou medidas mais duras do Congresso Nacional e do Conselho Nacional de Justiça para aperfeiçoar as leis de segurança pública, pois, caso contrário, o país seria entregue ao tráfico e ao crime internacional de drogas.

Não é possível um negócio como este. Considero que cabe ao CNJ tomar uma atitude ou ao Congresso Nacional. “É extremamente irritante e frustrante para mim, como governador, o nível de investimento que estamos fazendo em segurança pública. Sei o risco que os nossos guerreiros e dedicados soldados enfrentam naquela região de 800 quilômetros de fronteira, trabalhando de dia e à noite, enfrentando diversos obstáculos para prender criminosos que traficam drogas”, disse.

Rosivaldo Herrera Poquiviqui e Marcos Antonio Rodrigues Lopes foram colocados em liberdade provisória pelo juiz Guilherme Michelazzo Buendo, da Justiça Federal de Cáceres. O magistrado considerou que ambos concordaram em praticar o crime de tráfico apenas por terem a oportunidade de ganhar dinheiro fácil, o que indica que eles não tinham a intenção de ser criminosos.

A ação conjunta entre as forças de segurança resultou na apreensão de 420 quilos de cloridrato de cocaína e maconha, no último sábado (6), no município de Porto Esperidião (323 quilômetros de Cuiabá) Os suspeitos receberão R$ 25 mil. Os dois homens que faziam o transporte da droga foram presos em flagrante. A caminhonete S10, de cor branca, estava sendo conduzida pelos policiais.

Durante a vistoria no veículo, os militares encontraram tabletes de substâncias psicotrópicas no banco traseiro da caminhonete. Ao ser questionada, a dupla admitiu que receberia cerca de R$ 25 mil para transportar a droga do interior da Bolívia até a cidade de Mirassol D’Oeste.

Diante dos fatos, os suspeitos receberam voz de prisão e foram conduzidos à Delegacia de Polícia Federal em Cáceres.

 

 

Fonte: Informações/ Olhardireto