Escola arrecada alimentos que serão doados para famílias necessitadas

0
225
Reprodução
ALMT TRANSPARENCIA

Alinhar a prática esportiva com a preocupação social foi o objetivo da Olímpiada Escolar da EE Zélia Costa de Almeida, localizada no Bairro Jardim Presidente II, em Cuiabá. Durante as competições, os estudantes arrecadaram alimentos não-perecíveis que serão doados para famílias carentes que moram na região da escola.

A iniciativa foi do professor e coordenador da área de Linguagens, Leonan Ferreira de Souza, que inicialmente pensou em arrecadar os alimentos para serem doados para uma instituição de caridade.

“Ao longo do ano fomos fazendo os trabalhos programados na agenda escolar e percebemos que aqui dentro da escola temos bastante alunos que são de famílias humildes”, lembrou o professor.

Foi pensando nessa situação que ele teve a ideia de reverter essa doação para as famílias dos alunos mais pobres. “Pensei comigo: apesar de as instituições precisarem de doações, as famílias também precisam. E como elas estão inseridas dentro do nosso contexto, dentro do nosso dia-a-dia, levei a ideia à gestão, aos professores e aos alunos, que ficaram empolgados”.

Bruna Ferreira Borges, de 16 anos, é aluna do 2º Ano do Ensino Médio. A sala dela foi a campeã de arrecadação e, para ela, é muito importante saber que mesmo com o clima de competição, algumas famílias serão beneficiadas.

“Quando a gente fala das olimpíadas, logo pensamos nos jogos, mas desde o ano passado estamos com esse engajamento social, arrecadando alimentos e doando para quem precisa”, lembrou.

Ela e os colegas da turma se organizaram, saíram pedindo alimentos pelas ruas do bairro, compraram em mercados e até trouxeram de casa. “Só trouxemos tudo no dia da competição, então foi uma surpresa. Ficamos felizes por ganhar, mas também em ajudar”. Com todos os alimentos arrecadados, foram montadas 28 cestas básicas.

De acordo com o professor Leonan, os pacotes são incrementados, alguns contam com três pacotes de arroz, macarrão, feijão e outros. A atividade envolveu todas as turmas da escola, que funciona no período matutino e vespertino.

Aluna do 3º Ano do Ensino Médio, Lorena Jasminy, de 17 anos, contou que saiu pelas ruas do Bairro Itapagé, onde mora, pedindo alimentos. “Lá todo mundo me conhece, quando contei que precisava para um projeto da escola, que estava arrecadando para doação, consegui diversos pacotes”, lembrou a aluna, que estuda na turma campeã das olímpiadas e vice-campeã na prova de arrecadação.

Doações

A coordenação da escola já identificou 23 famílias para receber os alimentos. A expectativa é de que até a próxima semana todas as cestas sejam destinadas.

“A gente está feliz com o resultado e com o entendimento que os alunos tiveram da nossa proposta. É um trabalho social que estamos fazendo, que muitas vezes olhamos só de dentro para fora, quando na verdade podemos cuidar do próximo, que está aqui dentro mesmo”, ressaltou Leonan.

Para Otávio Augusto, de 18 anos, aluno do 3º Ano, é preciso mais que espírito esportivo. “Muitos colegas chegam sorrindo aqui na escola, mas, na verdade, é uma forma de esconder o que está por trás e nós não sabemos. Tem colega que não tem condições de comprar um lápis, então, é muito importante a gente cuidar um do outro”, finalizou. 

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here