Temendo indústria da multa, Emanuel mantém suspensas autuações por câmeras: “Não vou arrancar o couro do cidadão”

0
228
Foto: Semob
CAMARA VG

Olhar Direto

“Toda multa feita de forma destemperada, açodada, resulta em um dinheiro amaldiçoado”. A avaliação é do prefeito de Cuiabá, Emanuel Pinheiro (PMDB), que manteve suspensa as multas por videomonitoramento durante tempo indeterminado. Ele considerou falha a divulgação por parte de sua equipe, garantiu que irá “arrancar o couro do contribuinte” e que, se for necessário, adiará a medida “por um ano”.
 
“Eu não quero indústria da multa e sim da vida. Não estou preocupado em multar, não quero. Toda multa feita de forma destemperada, açodada, feita só com este objetivo, é um dinheiro amaldiçoado, não fica no caixa do município. Não se deve fazer nada arrancando o couro do contribuinte, condutor do veículo.”, comentou o prefeito, na última segunda-feira (07).
 
A intenção do gestor é ter um trânsito humanizado: “Eu preciso da indústria da vida. Não vou fazer armadilha contra o cidadão cuiabano, não vou armar para a cabeça dele. Sou o maior aliado do povo. Vou aplicar as leis, mas com honestidade, sem enganar e tapear a população. A divulgação está falha, um problema interno da minha equipe e não vou jogar a responsabilidade nos ombros do povo”.
 
“Enquanto não se fizer uma campanha maciça de esclarecimento e educação, especialmente nos corredores exclusivos, não vou cobrar. Não tenho pressa nenhuma. Não quero engordar o caixa do município prejudicando o condutor do veículo. Enquanto não tiver uma campanha em que eu sinta que todos estão sabendo, não vou cobrar”, garantiu o prefeito.
 
Por fim, garantiu que não tem pressa para iniciar as autuações e disse que, se necessário, poderá adiar a medida por até um ano.
 
No dia 05 de julho, o prefeito suspendeu por tempo indeterminado a aplicação de multas por meio do sistema de videomonitoramento na Capital. O aumento na fiscalização contra infrações de trânsito através das câmeras estava previsto para ser iniciado no dia seguinte. No ano passado, o Governo do Estado também anunciou que aumentaria o número de câmeras tanto em Cuiabá quanto em Várzea Grande de 102 para 304, nas regiões centrais e periféricas.
 
Esta foi a segunda vez que Emanuel suspendeu o  início da aplicação das multas. Ao assumir o comando do Alencastro, Emanuel determinou que os motoristas que fossem pegos em autos de infração recebessem apenas uma advertência, até que houvesse um amplo debate sobre o assunto.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here