Deputados vão tentar articular em Brasília a atualização da tabela SUS

0
191
Foto: Maurício Barbant/ALMT
CAMARA VG

Os deputados estaduais vão pleitear junto à bancada federal a revisão da tabela de pagamento de serviços do Sistema Único de Saúde (SUS), desatualizada há dez anos. A articulação é uma das alternativas encontradas para cobrir os custos dos hospitais filantrópicos de Cuiabá, que ameaçaram uma paralisação geral para reivindicar repasses por parte do governo do estado.

O presidente da Assembleia Legislativa de Mato Grosso (ALMT), deputado Eduardo Botelho (PSD), afirmou que a solução para suprir o déficit financeiro dos hospitais filantrópicos é a atualização da tabela do SUS e que os repasses feitos pelo governo estadual são medidas paliativas.

“A situação atinge muitos hospitais de todo o país e algumas unidades de Santas Casas em outros estados vão fechar.  A tabela atual não cobre os custos dos hospitais e por isso buscam o apoio de governos e prefeitura. Os valores estão defasados e precisam ser atualizados”, afirmou o presidente.

A articulação pela atualização dos valores também foi defendida pelo líder do governo na Assembleia, deputado Dilmar Dal Bosco (DEM). “Precisamos procurar os deputados federais para buscar uma forma de rever essa tabela. Sabemos que será uma luta, que o governo federal tenta estipular um teto, que anunciou um rombo de R$ 160 milhões nas contas, mas temos que buscar alternativas para suprir a necessidade. O governo do estado também vai contribuir, buscar uma fonte para a saúde e dar este auxílio neste momento”.

O presidente da Santa Casa de Cuiabá, Antônio Preza, explicou que para que um hospital filantrópico seja sustentável, é preciso que os atendimentos sejam 60% por meio do SUS e 40% particulares. Mas, segundo ele, essa proporção não acontece e o SUS chega a representar mais de 90%  em alguns filantrópicos.

“Sem essa contrapartida dos atendimentos particulares, os hospitais precisam recorrer a repasses dos governos estaduais e prefeituras como alternativas. Hoje, a Santa Casa está com a folha de pagamento atrasada, outros hospitais têm dificuldades para pagar fornecedores”, detalhou o presidente.

Solução imediata – Após receber os diretores de hospitais filantrópicos que reivindicam recursos do governo do estado, o deputado Eduardo Botelho buscou o Palácio Paiaguás para encontrar uma solução e evitar a paralisação total de atendimentos nas unidades. Nesta quinta-feira (17), os deputados e os diretores dos hospitais se reúnem com o governador Pedro Taques para estabelecer uma forma de amenizar o problema.

Atualmente, parte dos atendimentos dos hospitais filantrópicos estão paralisados porque desde março o governo não envia recursos públicos. Nesta semana, a Santa Casa, Hospital Geral Universitário, Santa Helena e Santa Casa de Rondonópolis ameaçaram parar totalmente os serviços.

Os repasses do governo estadual para hospitais filantrópicos não são obrigatórios, mas de acordo como deputado Eduardo Botelho, são necessários para garantir o atendimento à população. O deputado Dilmar Dal Bosco destacou que a paralisação poderia causar uma superlotação nos hospitais públicos e que é preciso encontrar uma nova fonte para a saúde no Estado, que atravessa dificuldades para se manter.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here