A Polícia Civil identificou um sítio usado para a comercialização ilegal de combustível em MT

0
22
Foto: PC-MT
ALMT TRANSPARENCIA

Uma residência situada na área urbana de Vila Bela da Santíssima Trindade, que era usada para comercializar combustíveis de forma ilegal, foi interditada pela Polícia Civil na sexta-feira (08.03) Dois homens foram presos em flagrante por crimes ambientais.

A ação, que foi iniciada pela Delegacia de Vila Bela da Santíssima Trindade, juntamente com a Delegacia Especial de Fronteiras (Defron), faz parte da Operação Protetor das Divisas e Fronteiras.

O proprietário do sítio, de 42 anos, responderá pelos crimes de construção ou funcionamento de estabelecimentos, obras ou serviços que possam causar impactos adversos à saúde humana ou ao meio ambiente, de acordo com a legislação vigente.

A diligência teve início após uma denúncia pelo disque 197, que denunciava que uma grande quantidade de combustível era comercializada ilegalmente para garimpeiros na terra indígena Sararé.

Diante das informações, os policiais civis conduziram-se ao sítio e, logo à frente, viram um caminhão que transportava combustível em um tanque próximo ao solo.

Na ocasião, a portaria estava aberta, o que motivou a entrada das equipes para apurar os fatos. O condutor do caminhão tanque conduziu a quantia de 25 mil litros de combustível para o tanque e para o solo.

Quando questionado, o condutor do caminhão disse que era do proprietário do sítio e que seria a terceira viagem que ele faria até a propriedade.

Além disso, havia um funcionário no local, que abasteceu um container de 1 mil litros, que estava em uma camionete Hilux de cor preta. O container estava com cerca de 420 litros de combustível.

O funcionário disse que foi contratado pelo proprietário do sítio por R$ 5 mil e que o funcionamento do local era das 8 às 20 horas, sendo comercializados Diesel S10 e Diesel comum, além de não ter um registro de trabalho.

O motorista da Hilux alegou que era um frentista e que não era a primeira vez que ia ao sítio para comprar Diesel. Durante a fiscalização, mais dois veículos compareceram à propriedade para adquirir combustível.

Além disso, foi demonstrado que o proprietário da propriedade tem a posse da área por meio de um contrato de arrendamento, mas não é o único proprietário do sítio.

A perícia oficial e a identificação técnica foram requisitadas para periciar o local, que foi interditado.

Dois suspeitos foram conduzidos e autuados por crime contra o meio ambiente.

A Polícia Civil instaurou um inquérito para apurar o comportamento dos envolvidos e responsabilizar-os criminalmente.

 

 

Fonte: Informações/ PJC-MT