Fuzis 556 e veículo de luxo são apreendidos com grupo criminoso envolvido em disputa de terras em MT

0
9
Foto: Reprodução
CAMARA VG
ALMT
BANNER BAÇANCO CAMARA VG

Sete armas de fogo, entre elas dois fuzis de calibre 556, e um veículo de luxo foram apreendidos com os alvos da Operação Anarquia, deflagrada na terça-feira (28) pela Delegacia da Polícia Civil de Água Boa contra um grupo investigado por crimes ligados à disputa agrária na região.

Cinco pessoas foram presas durante a operação. Duas delas foram detidas em flagrante pelos crimes de porte ilegal de arma de fogo de uso e posse irregular.

Recentemente, os integrantes da associação criminosa atearam fogo em uma propriedade na área rural de Água Boa causando prejuízos de R$ 800 mil à vítima.

Durante a investigação, a Polícia Civil recebeu diversas denúncias de que os investigados estavam portando armas de fogo e ameaçando pessoas em locais de grande circulação no centro de cidade, sem nenhum pudor, para intimidar desafetos.

O delegado de Água Boa, Matheus Soares Augusto, destaca que os investigados, todos presos durante a operação, respondem a diversos crimes no estado de Goiás e acreditavam que, ao se mudarem para cidade de Água Boa, poderiam continuar infringindo a legislação. “Eles agiam como se estivessem no faroeste, fazendo ameaças e portando armas de fogo dentro da cidade, pensando que fossem imunes à lei. Tal conduta é inadmissível para a Polícia Civil que, ao tomar conhecimento dos fatos, adotou todas as providências para prisão dos criminosos”, reiterou.

Os alvos da Operação Anarquia são também investigados pela Polícia Civil goiana por lavagem de capitais e um esquema de falsificação de defensivos agrícolas, que eram revendidos nos estados de Mato Grosso, Bahia, São Paulo, Paraná e Goiás.

Outras apreensões

Durante a operação Anarquia, a Delegacia de Água Boa apreendeu com os criminosos um veículo de luxo, da marca Jaguar, e uma camionete Ford Ranger, que estavam com ordem de sequestro judicial expedida pela Justiça de Goiás como parte de uma investigação da Polícia Civil do estado vizinho.

 

 

Fonte: PJC-MT

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here