A Polícia Civil cumpre 22 mandados judiciais contra menores que estejam contra a lei

0
15
Foto: PC-MT
CAMARA VG

A Polícia Civil cumpriu um total de vinte e dois mandados judiciais contra adolescentes em conflito com a lei durante a Operação Pós Carnaval, que teve início nas Delegacias Especializadas do Adolescente (Dea) de Cuiabá e Várzea Grande.

Nos cinco dias de trabalho que se estenderam de 26 de fevereiro a 01 de março, os policiais civis das unidades policiais cumpriram as ordens de busca e apreensão e de internação.

Além dos 22 mandados cumpridos, outros seis menores de idade que respondem a processos de infração nas Comarcas de Cuiabá e Várzea Grande foram apreendidos.

A delegada titular da Delegacia de Polícia de Cuiabá, Jozirlethe Criveletto, ressalva a ocorrência de que, em muitos casos, adolescentes que cumprem medidas socioeducativas, deixam de cumpri-las, sobretudo nos casos de prestação de serviços em instituições públicas.

O Ministério Público requer a apreensão do adolescente para, em uma audiência, analisá-lo e, eventualmente, propor a regressão da medida socioeducativa ou a internação do menor.

Dentre os mandados cumpridos, está o de um menor de 17 anos, que já teve mais de cinco ocorrências de infração, a maioria delas decorrentes da prática de um delito semelhante ao de furto em lojas. Foi notado que o adolescente, apesar de cumprir medida socioeducativa de prestação de serviços, não comparou à unidade de prestação de serviços.

A Operação Pós Carnaval tem como objetivo identificar os casos de infração praticada durante o período carnavalesco, que descumprem as medidas impostas aos adolescentes.

Ações Sociais

As Delegacias de Adolescentes de Cuiabá e Várzea Grande têm desempenhado um trabalho de prevenção, com palestras em escolas e comunidades, dentro do Projeto “Dea nas Escolas”, que está alinhado ao Plano Operacional de 2024.

As equipes policiais promovem palestras e rodas de conversa nas escolas de Cuiabá e de Várzea Grande, com a previsão de estender-se ao distrito de Nossa Senhora da Guia.

O objetivo das atividades é atender às necessidades de ações efetivas não somente no que diz respeito à repressão, mas também à prevenção no que diz respeito ao trabalho com crianças e adolescentes, para que não sejam alvos de cooptação por organizações criminosas ou do uso de substâncias psicotrópicas.

Durante os encontros, é amplamente discutido com os jovens as consequências da prática de um ato infracional, bem como as medidas socioeducativas decorrentes dessa conduta que podem ser aplicadas a eles.

Outro tema a ser abordado é a prevenção da violência de gênero contra meninas e adolescentes, que sofrem abusos, constrangimentos e até mesmo a violência sexual.

 

Fonte: Informações/ PJC-MT