Uma mãe e um pastor de uma igreja evangélica foram detidos por torturarem uma criança de sete anos; a vítima corre o risco de amputação peniana

0
666
Foto: reprodução
ALMT TRANSPARENCIA

Um casal foi detido pela Polícia Civil por torturar uma criança de sete anos em Apiacás (964 km de Cuiabá) nesta terça-feira (23) Os criminosos são a mãe e o padrasto da vítima. Ele é o líder de uma igreja evangélica. Informações indicam que o garoto sofreu tortura como forma de castigo por ter urinado na cama.

Na segunda-feira (22), o Conselho Tutelar de Apiacás registrou uma ocorrência em que uma criança apresentou ferimentos no órgão genital.

O garoto teve o pênis amarrado com um barbante e foi levado para o hospital pela mãe, de 25 anos. Devido à gravidade do ferimento, a criança foi levada para um hospital de Alta Floresta. Segundo os médicos, o órgão já estava necrosando e a criança corre o risco de ser amputada.

A criança disse que o pai acariciou o órgão genital com um barbante, por três dias, depois do menino fazer xixi na cama. Com o conhecimento da própria mãe, ele teria agido dessa maneira.

A equipe policial realizou buscas na residência da avó da criança durante as investigações. Os policiais foram informados que o padrasto levou a vítima ao hospital em Alta Floresta e que a mãe não a acompanhou devido a problemas particulares.

Diante da gravidade dos fatos, a mãe da criança foi detida em flagrante e conduzida à delegacia. O homem de 43 anos, que é líder de uma igreja evangélica em Apiacás, foi detido em Alta Floresta.

A delegada Paula Meira Barbosa informa que os dois serão acusados de tortura mediante punição, cuja pena pode variar de dois a oito anos. Informações da assessoria).

 

 

Fonte: Informações/ Olhardireto