Promotores rebatem críticas e chamam Gilmar Mendes de “sensacionalista”

0
192
Foto: Rogério Florentino Pereira/ Olhar Direto
CAMARA VG

Olhar Direto

Na mesma semana em que chamou o Procurador-geral da República de “o mais desqualificado procurador da história”, o ministro Gilmar Mendes teceu críticas ao trabalho dos grupos de investigação dos ministérios públicos do país e afirmou que os inquéritos abertos por estes órgãos são “terra de ninguém”. Em resposta, a Associação Nacional de Membros do Ministério Público (Conamp) emitiu nota nesta quarta-feira (09) em que chamou a declaração de Mendes de sensacionalista.

No documento, os promotores afirmam ser incorreta a afirmação de que os grupos de investigação, como Gaeco e Gecoc, trabalham sem controle. A Conamp lembrou que qualquer investigação do Ministério Público é submetida a outro órgão de fiscalização interna.

“Não é correta a afirmação que os Gaecos e Gecoc do Ministério Público agem sem controle. Toda a atuação ministerial é submetida ao controle de órgãos internos de revisão, das corregedorias locais, do CNMP e do Poder Judiciário. Toda a atuação ministerial é pautada pela transparência e responsabilidade de seus membros", afirma a entidade.

Críticas do ministro

As críticas que incomodaram os promotores foram feitas por Mendes, na última terça-feira (09). Na ocaisão, ele afirmou que discutia com o ministro Celso de Mello a questão das investigações descontroladas do MP, que precisariam ser revisitadas.

“Não obstante, o que se ouve? Que hoje é um festival de investigação sem sequer controle judicial. Fala-se que na Procuradoria-Geral hoje haveria 2,8 mil PICs, chamado procedimento de investigação criminal, sem nenhuma figura de controle", acrescentou o ministro do STF.

Em entrevista a Rádio Gaúcha na segunda-feira (7), Mendes também criticou Rodrigo Janot ao afirmar que o procurador era o mais “desqualificado da história” do Brasil. O ministro disse ainda que Janot não é suficientemente preparado para lidar com os processos da Lava Jato.

"Quanto a Janot, eu o considero o procurador-geral mais desqualificado que já passou pela história da Procuradoria. Porque ele não tem condições, na verdade não tem preparo jurídico nem emocional para dirigir algum órgão dessa importância", avaliou.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here