A terceira fase da operação contra os traficantes de drogas sintéticas cumpriu 151 ordens judiciais em Mato Grosso e em Paraná

0
178
Foto: Reprodução
CAMARA VG

A terceira fase da Operação Doce Amargo, que tem como objetivo cumprir 151 ordens judiciais, sendo 43 de prisão preventiva, 54 de busca e apreensão e 54 de bloqueio de contas, tem como foco principal os traficantes de drogas sintéticas que atuam em toda a região metropolitana de Cuiabá.

As ordens judiciais foram expedidas pelo Núcleo de Inquéritos Policiais (Nipo) de Cuiabá, após uma representação solicitando medidas cautelares elaborada pelos delegados da DRE, com base nas investigações realizadas pelas equipes policiais especializadas.

Os mandados são cumpridos em diversos bairros de Cuiabá, nas cidades de Cáceres, Campo Novo dos Parecis, Santo Antônio do Leverger, Castanhaira e Foz do Iguaçu.

A presente ação faz parte da Operação Erga Omnes, uma das ações de combate à atuação de facções criminosas no estado de Mato Grosso.

Durante as investigações da DRE, foram identificados diversos traficantes que atuavam no comércio de substâncias sintéticas, como ecstasy, MDMA e LSD, popularmente conhecidas como “bala”, “roda” e “doce”, além de outras variantes da maconha, que eram vendidas para indivíduos de maior poder aquisitivo em bairros de alta classe social e em festas e baladas.

Os traficantes atuavam de forma cooperativa, dividindo tarefas e fornecendo produtos diretos a outros contatos. Além disso, avaliavam os valores para a aquisição de quantidades maiores de drogas de qualidade superior.

Outra parte dos investigados se aliava ao grupo, adquirindo substâncias para o consumo de terceiros, captando usuários e fazendo um rateio para auferir as vendas ilícitas. A participação de alguns investigados vinculados a uma organização criminosa que atua no Estado de Mato Grosso, mediante o pagamento de uma taxa para a execução das atividades ilícitas.

As buscas e apreensões foram realizadas em condomínios e residências em diversos bairros da Capital, o que motivou a participação de 51 equipes da Polícia Civil, que compreendem a Diretoria de Atividades Especiais e a Diretoria Metropolitana, além de delegacias do interior do Estado e do Paraná.

A terceira etapa da Operação Doce Amargo é uma etapa do trabalho contínuo de repressão ao tráfico de drogas sintéticas da DRE, que também atua de forma permanente no combate ao tráfico doméstico e em outras investigações de maior complexidade.

Doce Amargo

O nome da operação é uma junção de termos como “doce”, que se refere à forma como os usuários referem-se às drogas sintéticas, e “amarga”, que se refere ao desânimo que experimentam diante da repressão estatal.

Coletiva

Os delegados da DRE que conduzirão a entrevista coletiva sobre a Operação Doce Amargo, às 9 horas, na Delegacia Especializada em Repressão a Entorpecentes, situada na Rua Havana, número 215, no Jardim das Américas, região Leste de Cuiabá.

Fonte: Informações/ PJC-MT