A Polícia Civil apresentou quatro indivíduos por envolvimento no desaparecimento de uma jovem em Mato Grosso

0
25
Foto: Reprodução
CAMARA VG

A Delegacia de Nobres, situada a 146 quilômetros a oeste de Cuiabá, concluiu a primeira etapa das investigações sobre o desaparecimento do jovem Altair Almeida Pereira, ocorrido no dia 02 de fevereiro. Após a conclusão do inquérito, quatro pessoas foram indiciadas pelos crimes de sequestro, homicídio, ocultação de cadáver, corrupção de menores e organização criminosa.

Na ocasião, a vítima foi abordada por alguns homens, até então desconhecidos, e obrigada a adentrar num veículo que tomou um rumo desconhecido. A partir de então, o jovem não foi visto e ninguém tem notícias do seu paradeiro.

As investigações conduzidas pelo delegado Rogério Gomes revelaram que, dentre os integrantes do grupo criminoso que atuou no sequestro e desaparecimento de Altair, há uma adolescente de 16 anos, além de quatro suspeitos de maior idade, sendo um deles um primo da vítima, o que facilita o encontro dos criminosos com o jovem e o acompanhamento no veículo.

Um dos outros três envolvidos é apontado como o suposto responsável pelo delito, enquanto os outros dois tiveram uma participação direta na execução do delito. De acordo com as investigações, os criminosos sequestraram a vítima para instruí-la a indicar o esconderijo de membros de uma facção rival, uma vez que a jovem estaria colaborando com uma outra organização criminosa.

Todos os suspeitos identificados nas investigações foram presos preventivamente após a representação do delegado Rogério Gomes, sendo que um deles já havia sido preso por outro crime em Cuiabá. A adolescente envolvida também foi apreendida e está em observação provisória no Centro de Ressocialização da Capital.

Os outros dois indiciados ainda não foram localizados e a polícia continua em busca deles.

Após a primeira etapa, as investigações prosseguirão com outra com o objetivo de esclarecer a identidade de outros envolvidos, sobretudo os mandantes e auxiliares, bem como a localização da vítima.

O inquérito será enviado ao Poder Judiciário de Nobres, onde estará à disposição do Ministério Público, que será o responsável por analisar e, eventualmente, apresentar uma denúncia contra os investigados.

 

 

Fonte: Informações/ PJC-MT