A Polícia Civil iniciou uma investigação para análise do atendimento na Central de Flagrantes de Cuiabá

0
11
Foto: Reprodução
ALMT TRANSPARENCIA

A fim de aprimorar a qualidade do atendimento nas delegacias, uma das metas da Polícia Civil para o ano de 2024, iniciou-se uma pesquisa de satisfação que será realizada por 30 dias na Central de Ocorrências de Cuiabá, a principal unidade de registro de ocorrências do estado de Mato Grosso.

O projeto-piloto, desenvolvido pela Diretoria Metropolitana em conjunto com a Academia de Polícia (Acadepol), a Diretoria de Inteligência, a Coordenadoria de Polícia Comunitária e a Coordenadoria de Tecnologia da Informação (Coti), tem como objetivo coletar dados diretamente com os usuários do serviço, de forma a avaliativa do atendimento prestado pelos servidores da unidade.

Nos próximos 30 dias, os cidadãos que procuram a Central de Ocorrências poderão avaliar o atendimento prestado pelos servidores através de duas metodologias. A pesquisa permitirá um diagnóstico preciso sobre as condições da Central de Ocorrências, com o objetivo de melhorar o atendimento e investir em melhorias nas instalações físicas para melhor atender o cidadão.

A primeira forma de avaliação, destinada a todos os cidadãos que comparecerem à unidade, é a realização de uma pesquisa por meio de um QR Code disponibilizado no momento do atendimento. A pessoa responderá a questões sobre o ambiente, o tempo de espera, a qualidade do atendimento, a clareza das informações, dentre outras.

Outra forma de avaliação será realizada por amostragem, quando o responsável pela unidade entrará em contato com algumas pessoas que estiveram na delegacia para, através de uma conversação, formular algumas perguntas a respeito do atendimento, bem como anotar críticas, elogios e sugestões.

A Polícia Civil realizará um estudo para avaliar os pontos fortes e fracos, compreender os principais erros e problemas e, em seguida, desenvolver uma capacitação para o atendimento ao público, que já está sendo desenvolvida pela Academia de Polícia (Acadepol).

Para o desenvolvimento do projeto, elaborou-se um questionário e analise de dados, sob a coordenação da Diretoria Metropolitana. A ideia é, a partir da identificação das deficiências, desenvolver uma capacitação aprofundada em atendimento ao público, com a previsão de uma nova avaliação para analisá-la.

 

 

Fonte: Informações/ PJC-MT