Governo abre seletivo com 50 vagas e salários que chegam a R$ 7 mil


0

O Governo do Estado abriu processo seletivo que visa contratação temporária de 50 Analistas de Meio Ambiente, além da formação do cadastro reserva. O objetivo da contratação é dar agilidade às análises dos pedidos de Cadastros Ambientais Rurais (CARs). Com carga horária semanal de 40 horas, a remuneração mensal para o cargo é de R$ 7.003,16. A ação acontece após acordo firmado com o Ministério Público do Estado de Mato Grosso (MPE), por conta da Operação Polygonum, que investiga fraudes em procedimentos administrativos do CAR.

Leia mais:
Prefeitura abre seletivo para HMC com 1,2 mil vagas e salários que chegam a R$ 5,5 mil; veja edital

 "Queremos garantir que haja total transparência na condução do exame seletivo e que não haja nenhuma subjetividade na seleção dos profissionais que analisarão e validarão os CARs em MT. A prioridade é que sejam contratados pessoas altamente qualificadas na interpretação de imagens de satélite e que saibam operar os sistemas de informações geográficas que são utilizados, em especial, no software do ArcGis", ressaltou o promotor de Justiça Marcelo Caetano Vacchiano.

De acordo com o edital, o processo seletivo ocorrerá mediante avaliações da inscrição e de títulos. As inscrições já estão abertas e seguem até o dia 23 de maio. Interessados devem acessar o endereço eletrônico. O valor da taxa de inscrição é de R$ 120,00. Confira o edital AQUI

O requisito básico exigido para participação da seleção é diploma de graduação em curso superior reconhecido pelo MEC: Bacharelado ou Licenciatura em Geografia, Bacharelado ou Licenciatura em Biologia, Engenharia Agronômica, Engenharia Florestal e Engenharia Ambiental.

Reunião

De acordo com informações da assessoria de imprensa, na terça-feira (14), no Gabinete da Procuradoria de Justiça Especializada de Defesa do Meio Ambiente e da Ordem Urbanística, representantes do Ministério Público, da Sema, Unemat e Administração Sistêmica reuniram-se para discutir detalhes sobre a forma como serão atribuídas as pontuações na seleção. A preocupação é de que os critérios sejam eminentemente objetivos para que haja transparência e segurança no processo seletivo.

 Participaram das discussões, o procurador de Justiça Luiz Alberto Esteves Scaloppe, os promotores de Justiça Marcelo Caetano Vacchiano, Maria Fernanda Correa da Costa e Daniel Balan Zappia, o secretário-executivo da Sema, Alex Sandro Marega, o reitor da Unemat Rodrigo Bruno Zanim, a secretária-adjunta de Gestão Ambiental Luciane Bertinatto Copette,o secretário-adjunto de Administração Sistêmica, Valdinei Valério da Silva, a técnica de desenvolvimento econômico e social Valéria Auto Botelho (presidente da comissão de seleção), a coordenadora de regularização ambiental Ebenezer Borges Costa e Silva e a assessora especial Edilene Fernandes do Amaral.

Deixe um comentário