Horas após ser liberado em audiência de custódia, criminoso comete roubo e tortura vítima


0
Foto: Rogério Florentino/Olhar Direto

Fonte: Olhar Direto

Um criminoso de 23 anos, identificado como C.H.S.O., foi preso por assaltar uma residência e tortura o morador. O crime ocorreu no final da manhã de terça-feira (20), no bairro Sagrada Família, em Colíder (650 km de Cuiabá), poucas horas após o suspeito ser colocado em liberdade em audiência de custódia.

Conhecido como Kaique, o suspeito possui várias passagens por crimes patrimoniais no município e foi flagrado com os objetos roubados da residência da vítima. No dia do roubo, Kaique e um comparsa, ainda não identificado, entraram na casa e em posse de uma arma branca, amarraram a vítima e passaram a torturá-la, exigindo que entregasse jóias, ouro e outros bens de valor.

Devido às agressões, a vítima ficou com marcas de cortes no pescoço, além de várias lesões nas costas resultantes de golpes executados com chave de roda de veículo e chave de fenda, visando extrair informações da vítima de onde estariam objetos valiosos. Após o roubo a vítima foi mantida amarrada, sendo encontrada somente quando sua convivente chegou a casa.

Policiais da Delegacia de Colíder iniciaram as diligências e conseguiram prender Kaique, com objetos roubados da residência, sendo um aparelho de TV e um violão.

Diante das evidências, o suspeito foi conduzido a Delegacia de Colíder, onde foi autuado em flagrante por roubo majorado em concurso material com crime de tortura.

O delegado, Ruy Guilherme Peral da Silva, representou pela conversão da prisão em flagrante do suspeito em prisão preventiva, visando garantir a ordem pública, e cessar a reiteração criminosa do suspeito no município. “Em apenas 30 dias, o suspeito já foi preso três vezes por envolvimento em crimes patrimoniais, demonstrado que a liberdade dele é de extremo risco a segurança da sociedade”, disse.

“A Polícia Civil tem se empenhado na solução dos crimes patrimoniais e outros crimes graves que vêm ocorrendo no município, mediante investigação policial, trabalhandode acordo com a sua função institucional”, completou Ruy Guilherme.

Deixe um comentário