Estudantes participam de atividades voltadas à educação ambiental desenvolvidas pelo projeto de entrega voluntária de óleo de cozinha usado

Implantado de forma experimental em 12 unidades da rede pública municipal de ensino, o projeto LEVO atende estudantes da Educação Infantil ao Ensino Fundamental

0
Reprodução

Cerca de 2 mil estudantes de 12 unidades da rede pública municipal de ensino de Cuiabá estão participando do projeto ambiental LEVO (Local de Entrega Voluntária de Óleo). Lançado em setembro, o projeto piloto é uma parceria da Águas Cuiabá, Prefeitura de Cuiabá, por meio da Secretaria Municipal de Educação, a startup de educação ambiental Teoria Verde e a Biomavi Reciclagem, responsável pela compra e reutilização do material coletado.

Como parte do projeto, desde o dia 24 de novembro até a próxima sexta-feira (3 de dezembro), os estudantes, da Pré-Escola (Educação Infantil) até o 6º Ano (Ensino Fundamental), estão participando de atividades de educação ambiental que incluem a exibição de vídeo e maquetes com experiências sobre preservação ambiental e o processo de tratamento de esgoto. Os estudantes recebem ainda uma cartilha sobre sustentabilidade.  “Estamos mostrando para as crianças os impactos do descarte incorreto do óleo e do lixo no meio ambiente. Para falar com os estudantes utilizamos desenhos, música e de forma lúdica sensibilizamos e educamos as crianças para que cresçam como adultos mais conscientes”, explicou Jean Pelicari, fundador da startup Teoria Verde.

Para receber o óleo de cozinha já usado foram montados 17 pontos de coleta. Além das unidades educacionais existem postos de coleta na sede (bairro Carumbé) e na loja de atendimento da Águas Cuiabá, na Prainha, em unidades do Supermercado Modelo e no Fort Atacadista da Av. Miguel Sutil. O objetivo da iniciativa é dar destinação adequada ao produto para que possa ser reutilizado e retorne ao sistema produtivo. De acordo com o projeto, 30% do valor comercializado do produto será investido na unidade escolar participante para a aquisição de equipamentos ou na ambiência escolar.

A diretora da Escola Municipal de Educação Básica (EMEB) Maria Tomich, Maria Estelvina Mendes de Souza contou que o projeto vem sendo trabalhado dentro da unidade desde o seu lançamento quando as atividades pedagógicas estavam sendo realizadas de forma online. “O projeto vem de encontro aos objetivos da escola, que são os cuidados com o meio ambiente, ilustrando o que já desenvolvemos na teoria com os estudantes”, contou a diretora escolar Maria Estelvina.

Segundo ela, os estudantes estão bastante motivados e os pais aderiram à iniciativa. A coleta do óleo arrecadado deverá acontecer ainda em dezembro.

Escolas participantes

As escolas que participam do projeto piloto são as Escolas Municipais de Educação Básica (EMEB) Maria Lucila da Silva Barros, Orzina de Amorim Soares, Pedrosa Moares e Silva, Dejani Ribeiro Campos, Marechal Rondon, Vereador Paulo de Campos Borges, Maria Tomich Monteiro da Silva, Profª. Esmeralda de Campos Fontes, Profª. Guilhermina de Figueiredo, Quintino Pereira de Freitas, Profª Gracildes de Melo Dantas e Prof. Ezequiel Pompeu Ribeiro de Siqueira.

Legislação

A coleta seletiva de óleo de cozinha é obrigatória em Cuiabá e foi estabelecida pela Lei nº 6.475, aprovada em 2020. A norma determina que creches e escolas do município devem separar o óleo de cozinha utilizado em recipientes fechados e destinar o resíduo a organizações não-governamentais, associações ou cooperativas licenciadas para o tratamento desse material.

 

Agenda das atividades

Dia 01/12

– EMEB Profª. Guilhermina de Figueiredo

–  EMEB Marechal Candido Rondon

 

Dia 02/12

– EMEB Profª Gracildes de Melo Dantes

– EMEB Profª  Esmeralda Campos Fontes

 

Dia 03/12

– EMEB Orzina de Amorim Soares

– EMEB Pedrosa de Morais e Silva

Fonte: Prefeitura de Cuiabá

Deixe um comentário