Empresário apontado como peça em esquema de caixa 2 bloqueia R$ 4 milhões de Alan Malouf


0

Fonte: Olhar Juridico

O empresário Claudio Pereira da Silva conseguiu em ações de execução duas decisões de penhora contra o Buffet Leila Malouf, no valor de R$ 2,088 milhões e contra o também empresário Alan Malouf, no valor de R$ 2,112 milhões.
 
Alan Malouf delatou ao Ministério Público Federal (MPF) um suposto esquema de caixa 2 para pagar a campanha eleitoral do ex-governador de Mato Grosso, Pedro Taques (PSDB). Os crimes ocorreram, conforme Malouf, em 2014. Claudio Pereira seria parte involuntária do esquema.
 
Conforme delação premiada, empresários simpatizantes do projeto de Pedro Taques, dentre eles Marcelo Maluf, Fernando Minosso, Juliano Bortoloto, Erivelton Gasques e Júlio Modesto, teriam ficado responsáveis por fazer o pagamento de dívidas contraídas no pleito. 
 
Alan Malouf ainda explicou o mecanismo utilizado. Pagamentos foram realizados mediante contrato de mútuo com Claudio Ferreira da Silva (amigo próximo de Julio Modesto), que emitiu cheques.
 
Consta ainda da delação um contrato de mútuo, em que Claudio Pereira da Silva teria emprestado R$ 1,350 milhão para o colaborador, com juros mensais de 1,8%. 
 
Não há informações nas ações de execução ligando os valores bloqueados ao contrato que foi delatado por Alan Malouf.
 
Pedro Taques nega que tenha cometido crime de caixa 2. A reportagem não conseguiu contato com a defesa de Alan Malouf. O advogado de Claudio Pereira também não foi localizado.

Deixe um comentário